Trinta e Um


(Reflexões sobre o o meu 31º aniversário)

Trinta e um é uma onomatopéia.

trin-tei- hum

trin-tei-hum

trin-tei-hum.

O trem passa marcando o ar

Na monotonia rítmica das engrenagens.

Marcha certa de quem não perde o rumo.

Trinta e um é um batuque.

trin-tei- hum

trin-tei-hum

trin-tei-hum.

Negra herança aquece o sangue,

Pulsa nas veias.

Grito sufocado dos palmares.

Entoado, cantado,

Riso rasgado do rei-escravo, hoje  livre.

Libertado na vida e morte e vida do Senhor.

Trinta e um  é um sonho.

O sonho de dormir criança

E acordar adulto.

É o começo da maturidade.

É o TRINNN de acordar pra vida.

E um do que ainda será.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *