Poder Microfoniano – Série Inovações Inovadoras

Descobri que existem microfones que são fogo puro, mistério de giová, e retetétianos. Esses microfones tem em si a capacidade mística de infundir poder pentecostal naquele que segura-o em suas mãos de vaso – o poder microfoniano. Só não percebi ainda qual o fabricante deste tesouro gospel.

Por um erro de observação, até então considerava-se que quem tava “no azeite” era o vaso ou a vasa em questão. Mas não, a unção é do microfone. Se você procurar na sua memória, tenho certeza que já se deparou com uma situação mais ou menos assim:

Cena 01

Local: Uma igreja neo pentecostal fictícia

Tempo: Culto bem “avivado” (segundo o conceito de avivamento da gospelândia)

Personagens: Cantor Convidado, Dirigente do Culto, irmã do louvor, platéia.

Começa o culto com uma oração já inflamada do dirigente. Após a oração, entra a irmã do louvor para cantar uns corinhos de fogo. Canela de fogo pra cá, sapateado pra lá, e a platéia vibra. Como se em uma disputa de torcidas organizadas, o que importa é o berro mais alto, para abafar o grito do vizinho. Mas agora é pra Gezuis.

O dirigente apresenta a grande estrela do culto. Não, não é Cristo, é o Cantor Convidado mesmo, que até então está calado e entendiado. Seu silêncio é sepulcral. Nem um “aleluiazinho” de canto de boca, nem um “gloriazinho” escapado de seu lábios ungidos.

Ao apresentá-lo, o Dirigente pede uma salva de palmas pra Gezuis, como desculpa para ovacionar o convidado. E, emocionado pela presença ilustre de um LEVITA, passa a oportunidade para o mesmo.

O Cantor Convidado  levanta-se, ainda em silêncio. Mas de repente, não mais que de repente, acontece um milagre. Ao pegar no microfone, uma onda “ispritual” passa pelo seu espinhaço, e subitamente dá uma rajada de língua estranha pro teto! É fogo, é canela, é “grória”!  O Cantor Convidado, canta, pula e “profeteia”.

– Quem não abrir a boca e dar um Glória é geladeira! Não tem unção de deus!

Depois de 45 minutos de “bença”, passa a vez para o Dirigente, que reservou os próximos 5 minutos para a meditação na Palavra de Deus, que é a parte mais importante do culto, segundo ele. E curiosamente não se ouve nem mais um “aleluiazinho” do vaso que até então, era puro mistério de giová.

Fim da Cena.

O que concluiremos? É OBVIO que a unção estava no microfone, e quando o vaso colocou a sua mão ungida no poder microfoniano do microfone ungido, a unção ungidora o ungiu um pouquinho mais.  Tá faltando unção? Já tens a solução! 😉

 

Série Inovações Inovadoras – Cavalo de Fogo

Continuando a minha modesta contribuição para o desenvolvimento ungido e retetético do retété, iniciada de modo brilhante com o lançamento da Unção do Buchim, está chegando ao mercado gospel tupiniquim a Nova Unção Ungida e Ungidora.

Chega de ficar apenas no sapato de fogo, canela de fogo, cabelo de fogo, anjo com vassoura de fogo (já ouvi cabra orando pedindo pra um anjo com a dita vassoura dar uma limpeza no ambiente espiritual).  Isso é coisa do passado.

O lance do momento é o Cavalo de Fogo. hihiiiihHIHIHhIHihIHHIHIHihihih (cavalo de fogo relinchando).

Por isso, olhe pro seu irmão e diga:

hihiiiihHIHIHhIHihIHHIHIHihihih!

Amém ou não amém?

Série Inovações Inovadoras – Unção do Buchim

seu-barriga-chaves

Resolvi, ao invés de só ficar criticando, propor algo novo. Nada é mais improdutivo que não produzir nada(?!).

O problema é que o mercado gospel brasileiro anda saturado, são tantas inovações que, na verdade mesmo, inovar é ser ortodoxo. Mas não dá IBOPE.

Então, me valendo dos meus parcos conhecimentos de marketing, através de um rápido levantamento do mercadológico e retétético, percebi que a tendência da hora é o crescimento ungido das diversas unções. Falou em unção, a galera vibra. Imagine a cena:

Local: Uma igreja fictícia

Tempo: Culto de domingo

Elenco: pastor, um obreiro, músicos, platéia. Nem Jesus, nem o E.S. participam da cena.

Ato 1:

O culto começa confuso. Conversa paralelas, músicos “afinando” a guitarra, a bateria, e todos outros instrumentos juntos, e “desafinando” a paciência dos irmãos.

Um obreiro começa a cantar um hino, enquanto os músicos tocam outro.

Os louvores seguem mecanicamente, a platéia dispersa, mas preocupada com a vida alheia do que com a adoração. O culto se arrasta liturgicamente semelhante a um enterro.

Subitamente entra o pastor (ele estava atrasado). sobe ao púlpito, pega o microfone e diz:

– Hoje deus vai dar uma nova unção aqui!

Ao ouvir a palavra mágica, unção, a galera vibra, sapateia, rola no chão.

– Olha a unção do Happy Feet! RECEBAAAAA!

E a platéia “só no sapatinho, ôô, só no sapatinho, ôÔ”.

– Olha a unção da Hiena! RECEBAAAAA!!!

E a galera começa a rir descontroladamente, mesmo tendo comido… deixa prá lá.

– Olha a unção da Cinderela! RECEBAAA!!!

E o pessoal cai no chão com os olhos fechados. Deviam ter levado ao menos um travesseirinho, mas isso é detalhe.

Depois de um tempo interminável, o culto acaba. O povo sai com a alma vazia, mas com o ego inchado.

Fim do Ato 1.

Massa, né? Depois de identificado o nosso nicho de mercado, falta agora o “revelamento” do detalhes da nova unção. Tem que ser algo marcante, novo, de peso… de peso? Claro, por que não?

Está lançada agora, através da rede mundial, a mais nova, ousada, maravilhosa e ungida unção moderna: A UNÇÃO DO BUCHIM! Tcharam!

Observação importante: Buchim é a expressão popularmente utilizada no Nordeste para buchinho, ou seja, barriguinha. O “inho” é um eufemismo para disfarçar a verdadeira circunferência da afirmação.

Vou explicar como ela funciona: pesquisadores identificaram que grandes homens de Deus eram gordinhos (eufemismo, de novo). Por exemplo, D.L. Moody, Spurgeon, Daniel Berg, Seymour, G.K. Chesterton, eu (não se esqueçam que eu sou CONFERENCISTA INTERNACIONAL). Alguns teólogos afirmam que ele levaram a sério a palavra de Ezequiel sobre os ossos secos, e os deles ficaram BEM cobertos.

Outros adotam a visão de que sendo o corpo o templo o Espírito, o mesmo merece uma acomodação mais ampla.

A práxis é simples: receba o oração da fé, beba 02 litros de refrigerante ungido e coma 7 coxinhas da unção todo dia, durante toda a campanha das “70 semanas no Poder do Bucho”, e verás um mover diferente em ti. Vai ser tanta glória que não poderás nem fechar o paletó.

Escrevi este post com a intenção de denunciar certos modismos.Queria encerrar ele com um vídeo: Manifestações ABSURDAS – David Wilkerson. Este homem de Deus partiu para o Senhor recentemente, em 27 de Abril. Mas deixou-nos um legado, de uma carreira cristã digna.