Acreditar é mais fácil do que pensar?

Ontem li uma frase, publicada no mural do facebook de alguém.

“Acreditar é mais fácil do que pensar. Daí existirem muito mais crentes do que pensadores.” Bruce Calvert.

Infelizmente, a opção de comentar estava desabilitada. Felizmente, por estar desabilitada, me deu uma vontade enorme escrever este post.

Percebemos claramente que o autor ainda pensa haver uma dificuldade em conciliar  fé e razão. Curiosamente, esta discussão foi abordada desde o período da Escolástica,  com Tomás de Aquino, e bem antes disso já debatido também por Agostinho de Hipona.

Normalmente, os que se acham muito originais são aqueles que não tem senso histórico.

Mas, o pior mesmo, é que as pessoas direcionaram seu objeto de fé, para aquilo que normalmente não tem a menor sustentação lógica.  Por exemplo, na estruturação de pensamento da frase acima, podemos dividir da seguinte forma: De um lado os “crentes” (os que não pensam), de outro, os “pensadores” (os que não creêm).  A partir desta divisão, os “pensadores” acham que pensam, e acham que os  “crentes” não pensam. Mas, na verdade, é justamente o contrário, absolutamente e totalmente, o contrário.

Estes “pensadores” tem uma fé pueril em verdades dogmáticas que eles mesmos não compreendem, e nem se dispõe a analisar. Aceitam qualquer afirmação “científica” como verdade total e inquestionável.  São xiitas do deus ciência. E, lamentavelmente, afirmam coisas que não compreendem, mas que somente ouviram falar. Sabe aquele lance de ouvir uma frase de efeito, achar bonita e ficar repetindo? Pois é.

Por exemplo, as pessoas comuns, os “pensadores”, adotam  como verdade inquestionável a teoria do Big Bang para explicar a cosmogenesis. Se resolveres questiona-la, podes ter certeza que vão primeiramente taxar-te de idiota, pois para esses “pensadores” já está provado e é a teoria mais aceita nos círculos acadêmicos. Mas ouso afirmar que 99.9% das pessoas que dizem acreditar nesta teoria NUNCA pensaram seriamente sobre ela, apenas repetem e repetem o que ouviram falar.

Eu por exemplo, creio que este teoria só terá algum sentido se adicionarmos o Deus cristão em sua equação. Somente um Deus não-criado, pré-existente e além da estrutura tempo-espaço poderia “fazer funcionar” o Big Bang.

Ou seja, se eu desconsiderar Deus, é IMPOSSÍVEL que tenha havido tal fenômeno, pois o mesmo contraria uma lei fundamental da física  e uma lei fundamental da biologia.

    1. Lei da Física – Inércia: É uma das primeiras leis formuladas por Newton, que afira que todo corpo em repouso tende em permanecer em repouso. Logo, considerando-se que inicialmente havia uma massa, uma matéria condensada que ocasionou a explosão, de acordo com a física esta explosão NUNCA poderia ter ocorrido, pois sem a aplicação de uma força externa ela teria PERMANECIDO EM REPOUSO. Já questionei isso algumas vezes com alguns descrentes, e a única explicação que ouvi foi a frase de Chicó : “não sei, só sei que foi assim”.

 

  1. Lei da Biologia: Um princípio simples – seres inanimados não geram seres animados. Se você discorda, peço que pegue duas pedras, bote elas para cruzar e veja se nascem novas pedrinhas. E aí tem uns tontos que falam: e abiogênese (teoria que defende que a vida pode ser gerada a partir de elementos químicos), tio Alcir ? Para isso eu respondo: me mostre somente UM exemplo concreto de uma experiência laboratorial que gerou vida a partir de elementos quimicos inanimados. Só unzinho, e retiro tudo que disse até aqui.  Simplismente não existe. é uma historinha da carochinha para tapar buraco.

Portanto, é notório que a inconsistência lógica e científica é negada apenas dogmaticamente. É a fé cega e burra dos “pensadores”.

Talvez nesse ponto eu tenha que concordar com o autor da frase que citei acima. Acreditar é mais fácil que pensar. Por isso que este “pensadores” acreditam em qualquer bobagem. E não pensam com suas próprias cabeças. Trocaria apenas o final: por isso que existem mais “pensadores” (gente comum, papagaio de pseudo cientistas) do que crentes.

27 thoughts on “Acreditar é mais fácil do que pensar?

  1. Bem, primeiro as leis da fisica, como a inercia que vc cita como uma prova de que o Big Bang está errado, atuam com intensidades diferentes dependendo das condicoes do ambiente. Sim, se o BigBang tivesse ocorrido dentro da sua igreja ou qualquer lugar dentro da Terra, ele seria impossivel. A questao biologica ja foi provada sim por um experimento que as condicoes da Terra primitiva permitiam a formacao de moleculas essenciais para a vida, entao de forma aleatoria essas moleculas poderiam SIM ter, de forma aleatoria se combinado para formar os aminoacidos e proteinas que compoe as celulas. Esse seu post so prova o que a frase diz, voce nao pensou, nao pesquisou nada para fazer esse post. Voce acredita cegamente que viemos do barro e de um Deus, voce acreidita na mesma igreja que matava as pessoas por acreditar que eram bruxos, porque as pessoas simplesmente nao acreditavam que a Terra era o centro do universo, e que atualmente ainda acredita que homossexuais sejam animais que deram errado.

    • Raphael,

      Obrigado pelo seu comentário, pois ajuda a ampliar o debate. Mas vamos lá:

      01- Quanto a inércia

      Qual seria então a condição que possibilitaria o Big Bang? Talvez num mundo de faz-de-conta, onde todas as leis fundamentais da físicas seriam desconsideradas, acharíamos a condição ideal para algo que, como vc mesmo reconhece, baseado nos fatos e realidades de dispomos, seria impossível? Linha de pensamento interessante para provar que estou errado… rsrsrs

      Na verdade, tão somente agradeço por teres validado a minha tese. Inclusive, por uma questão simples de silogismo, nem haveria necessidade de continuar a resposta. Porque se não houve Big Bang, logo não houveram os demais fatos que teriam decorrido dele. Mas continuemos mesmo assim.

      02 – Quanto a questão biológica

      Você poderia, por favor, citar exatamente QUAL foi o experimento que você cita, onde foi realizado, por quem, como, com quais resultados? Citação comprovada é fundamental para qualquer analise de informação. E a informação precisa ser clara e completa para ter validade.

      Até agora, ficaste no lance do “ouvi o galo cantar, mas não sei onde”. É essa inclusive a minha principal linha de argumentação, que as pessoas tem uma fé cega em um conhecimento pseudo científico, sem nenhum base acadêmica comprovada.

      O único FATO estabelecido é, até hoje, NENHUM teste laboratorial conseguiu produzir VIDA. Por menor que seja a partícula, já havia vida. Logo, de onde a VIDA surgiu? Qual a sua fonte, sua origem? Mesmo que hovesse condições propícicias para o surgimento do 1º ser unicelular, de onde veio a VIDA? Por que se condições específicas favoráveis por si só podem produzir VIDA, por que não se conseguir comprovação laboratorial (sendo este um ambiente totalmente controlado)? Vale ressaltar que a própria ciência se embasa em COMPROVAÇÃO. Este é o campo de atuação da ciência.

      03 – Neste post falo basicamente no que NÃO acredito. Não tenho como resumir a minha fé em poucas linhas.
      Mas, vou tentar responder as suas colocações.

      a) Não acredito em Deus cegamente: Acredito em Deus totalmente, com olhos e ouvidos abertos através da Sua revelação – a Palavra de Deus.

      b) Não sou católico, logo não me sinto na obrigação de defender a ICAR. A inquisição não foi feita pelos protestantes. Se quiseres respostas sobre isso, sugiro perguntares para um católico.

      c) Quem disse que eu penso que homossexuais são animais que deram errado???? Nunca tinha tinha nem ouvido semelhante frase. E nem falaria uma coisa dessas por estar 100% distante do posicionamento cristão acerca do fato.

      Primeiro, por que até hoje não foi apontada um fator genético, cromossomico, biológico, para o homossexualismo. Logo, não vejo como algo ligado à constituição física “animal”.

      Segundo, por que é uma frase tão desrespeitosa que não me dirigiria assim a um amigo meu (sim, crentes tem amigos gays).

      Terceiro, por entender que a pratica homossexual é um pecado, de acordo com as Escrituras. E sempre que Jesus se aproxima de um pecador é para oferecer, Graça, Amor, Misericórdia, Salvação e Vida Nova. Independente de qual seja o pecado do pecador. As pessoas falam como se o único pecado fosse o homossexualismo. Mas esse é um entre tantos outros. E o Sangue de Jesus cobre a todos eles.

      No mais, Raphael, espero que você traga as informações da resposta 01 e 02, para podermos nos aprofundar na questão. Continuo procurando as provas, para eu me calar sobre esse assunto.

      Abraço.

      • Embora um pouco longo, esse post pode tirar sua dúvida.
        Antes de dizer “Não existe tal coisa”, por favor, tente o goolge.

        Em 1954, o cientista norte-americano Stannley L. Miller construiu um aparelho onde reuniu metano, amônia, hidrogênio e vapor de água, numa tentativa de recriar, em laboratório, as prováveis condições reinantes na atmosfera primitiva. Imaginando que as descargas elétricas poderiam ter constituído uma fonte de energia capaz de promover o rompimento de ligações químicas das moléculas dos “gases primitivos”, Miller submeteu os gases, reunidos, a faíscas elétricas de alta intensidade.

        Depois de algum tempo, observou o acúmulo de substâncias orgânicas numa determinada região do aparelho, entre as quais encontrou vários aminoácidos.

        Pouco anos depois (1957), baseando-se nos experimentos de Miller, Sidney Fox, também norte-americano, aqueceu uma mistura seca de aminoácidos. Fox partiu da suposição de que os compostos orgânicos caídos com as chuvas formavam massas secas sobre as rochas quentes, após a evaporação da água. Ao final de sua experiência constatou a presença de proteinóides (moléculas de natureza protéica constituídas por alguns poucos aminoácidos), numa evidência de que os aminoácidos teriam se unido através de ligações peptídica, numa síntese por desidratação.

        Melvin Calvin, outro cientista norte-americano, realizou experiências semelhantes à de Miller, bombardeando os gases primitivos com radiações altamente energéticas e obteve, entre outros, compostos orgânicos do tipo carboidrato.

        Todas essas experiências demonstraram a possibilidade da formação de compostos orgânicos antes do surgimentos de vida na Terra. Isso veio favorecer a hipótese heterotrófica, uma vez que a existência prévia de matéria orgânica é um requisito básico não só para a alimentação dos primeiros heterótrofos, como também para sua própria formação.

        Fonte: http://www.brasilescola.com

        • Wallace, Em 1º lugar gostaria de agradecer o seu comentário. Ele é extremamente útil para que possamos esclarecer algumas coisas.

          A) As pílulas de informações colhidas no Google não são suficientes para um conhecimento pleno do assunto. Nesse aspecto cometes o mesmo erro da “Geração Wikipédia”, que acha que ao repetir uma informação superficial já sabe tudo sobre o assunto. Que tal se a gente analisar a informação que tu colocaste?

          Tipo assim,o experimento do Miller consegui produzir o que? AMINOÁCIDOS. E daí? Onde está o aspecto VIDA que é o cerne da minha argumentação?

          Talvez devas seguir o próprio conselho e pesquisar o que são aminoácidos rsrsrsrs.

          B) A existência de matéria orgânica,que pode já ser um indício da vida, não é uma obrigatoriedade da mesma. Deixa eu tentar me explicar melhor… Como estamos lidando com hipóteses, desde já alerto que os exemplos não serão precisos, são só exemplos.

          vamos imaginar que, num marco zero não existisse nenhuma matéria orgânica.De repente, os átomos de hidrogênio e oxigênio associados a outro elemento qualquer reagem entre si e criam um elemento carbono qualquer. E aí? Onde começou o “animus”? Ninguém sabe. As explicações pulam esta parte.

          Numa explicação mítica (segundo o conceito de Platão de mito enquanto uma narração de um FATO), a única alternativa viável para cobrir essa lacuna é dizer que Deus soprou nas narinas.

          O difícil é que as pessoas são tão apegadas as “pílulas de sabedoria instantânea” que não conseguem perceber a simplicidade do meu argumento. Deus fez. Como? Pra mim, tanto faz.

          Mas, repito, somos obrigados a incluir o Deus Cristão para fazer funcionar toda esta coisa.

          Até.

  2. nossa, muito bom os seus argumentos! alias, excelentes, eu sou um agnóstico e até agora não havia pensado nas probabilidades que você falou! realmente,. tudo o que voce fala, faz sentido, só que voce esqueceu de dizer onde DEUS entra nisso tudo!!!!!

    • Fernando, obrigado pelo elogio.

      Mas, respondendo a tua dúvida, a questão é simples. O principal argumento cristão sobre Deus é que Ele é O único ser incriado, pré-existente, auto-existente, comumente explicitado com as terminologias: Onipotente, Onipresente e Onisciente, sendo este três atributos incomunicáveis (ou seja, exclusivos) da divindade.

      Para haver, por exemplo, o Big Bang, haverá obrigatoriamente que ter uma Fonte Primária, uma vez que ela por si só não poderia ter acionado este “gatilho”. Ora, vamos então precisar de algo ou alguém que se situe antes da criação (incriado e pré-existente), que sendo a fonte da existência da criação deverá ser auto-existente, ou seja, se ele é a causa, não poder ser originado de outra causa.

      Somente Deus tem estas características. Logo, a única possibilidade de validar o Big Bang seria adicionar o Deus Cristão na equação.

      O mesmo vale sobre a VIDA. Qual a origem da vida? Fusões de elementos químicos não geram vida, nem as mais simples. Por menor que seja, já existe a vida.

      A própria VIDA é gerada por Deus, a fonte de toda vida.

      Espero ter sido claro. Qualquer dúvida, estou a disposição. 🙂

      • Não gostaria de ser repetitivo, mas esse post tem essa natureza mesmo.
        Antes de falar tanta besteira tente no google expressões simples de busca, como um pergunta direta, ou uma frase auto explicativa do tipo “experimeto que mostra a cração de moléculas orgênicas a partir de atmosfera primitiva”, ou como achei e já postei, “Experimentos de Miller”. Cara, é chato ficar dando aula de google, mas só assim a gente pode argumenta com mais razão.
        Sobre o Big Bang, veja, hoje é o tipo de informação que está disponível qualquer um (inclusive na minha “8ª série” [!] o professor de fíisca chegou a citar esse postulado): as leis da mecânica clássica não se aplicam quando se aproxima da velocidade da luz ou para eventos precedentes ao Big Bang. Se bem que o próprio Big Bang em si é apenas uma de muitas teoria da origem do universo. Numa delas, inclusive, entende-se que não existe um marco zero, mas que à medida que o universo finda, outro Big Bang acontece…
        Você também não deve saber de conceitos que hoje em dia já são tão consolidados como curvatura de espaço, ou a deformação que gravidade provoca no trajeto “retilíneo” da luz, e que a mecânica clássica entende que a luz caminha só em linha reta sempre, ou só pode ser desviada, nunca curvada. Ou seja, sua análise fria utilizando conceitos de mecânica clássica, num ambiente em que ela não se aplica já é por si só um absurdo, com as desculpas da força da expressão.
        Olha, daria pra escrever livros mas o espaço é limitado aqui.

        • Walace,

          Não gostaria de ser repetitivo, nem muito grosseiro, mas ao invés de ficar CTRL+V e CTRL+Cviando os resultados de pesquisas do Google, ganharíamos mais em aprender a pensar por nós mesmos.

          O pensamento crítico deve ser desenvolvido. Não é por que tu achou meia dúzia de coisinhas no Google que isso tá certo. nem que se encaixa.

          Putz, cara, tu descobriu o experimento do Miller. Massa. Já respondi sobre isso. Leia na minha resposta acima.

          A questão é o POR QUE? Por que as leis da mecânica clássica não se aplicam em eventos anteriores ao Big Bang? Por que esse foi o único remendo possível para o buraco na teoria?

          Putz, cara, o mais chato de responder alguns comentário é ver a facilidade com que as pessoas fogem do ponto principal e ficam arrotando um conhecimento que talvez nem tenham.

          A propósito, é uma agressão ao conhecimento acadêmico a tua postura de “O Google Sabe”… Teses, livros, tratados, estudos aprofundados estão sendo trocados por verbetes. #Medo

          Eu sei que no sei livro de 8ª deve ter afirmações que se forem debater com o tio, irão tirar nota baixa, depois irão pra recuperação e vão perder de viajar com o coleguinha nas férias. Mas ainda bem que já passamos desta fase. rsrsrs

          Quanto que o Big Bang é só um dos postulados eu tbm sei. por sinal um dos pilares do meu post é esse – É UMA teoria, não deve ser encarada como verdade absoluta.

          E para se crer em algo sem comprovação científica é preciso fé, que por sinal é campo de atuação da Religião, não da Ciência.

          Mas, para finalizar, por favor, me explique POR QUE não se aplica mecânica clássica em um ambiente precedente ao Big Bang. Não vale só dizer que foi o tio da 8ª série que disse isso…

          🙂

          • Obrigado pela atenção, Sr. Alcir. Sei que você poderia apenas ter ignorado minha postagem. Sinto certa gratidão por existir alguém que se dá ao trabalho de debater sobre o assunto.
            Contudo, sei também que você aproveitou a réplica para chover toda essa ideia de criacionismo e anti-cientificismo. Vamos lembrar que deus nenhum faz essa minha mensagem chegar ao servidor onde esta hospedado o seu blog. Nem é por bruxaria que o seu celular manda a sua voz para outra pessoa a kilômetros de distância ouví-la.
            Repito em congratular pessoas que se dão ao trabalho em contra-argumentar teorias baseadas em constatações científicas contra versículos religiosos. Contudo, alguns dos que não fogem ao trabalho usam argumentos estranhos como o seu de “somos OBRIGADOS a incluir o Deus Cristão para fazer funcionar toda esta coisa”. Cara, ninguém é obrigado a incluir em postulados científicos estorinhas de super-heróis com forças míticas como Sansão, ou outros que caminham sobre águas, que seja o tal Jesus, ou dividem um canal com kilômetros de extensão com uma cajadada, como o véio Moisés – ah esse não vale porque foi deus que fez isso, né? São estórias engraçadas se fossem registradas como acontecidas na época de hoje, tipo: “policial flagra homem de meia idade tentando assinar filho em ritual de sacrifício”, acho que é a estorinha do Abraão, né? Aliás, vamos expedir um mandado de prisão e dar sentença a prisão perpétua por genocídio a Moisés que assassinou 300 pessoas por adorarem a uma imagem de animal.

            Até ponho-me no lugar do ridículo, pois já acreditei em toda essa besteirada, ou tentava acreditar, pois nada fazia sentido. É, inclusive devido ao fato de eu ter sido leitor da bíblia, que se torna possível essa nossa peleja retórica.

            Veja, o quanto é curioso um experimento científico, como o de Miller, ter resultado em algo que já era previsto em teorias. Muita coincidência, não? Fica isto pra ser replicado.
            Ah, é verdade o fato de ser uma agressão teorias que só conseguem ser condensadas num livro serem resumidas a buscas no google. Mas muito mais danoso é, ao conhecimento científico, incluir deuses numa fórmula matemática para tornar algo que ainda não foi explicado em uma resposta conveniente.
            Clamo aqui o direito que os budistas têm de incluírem suas ideias de ressurreição, e os indús, de incluírem seus deuses e suas teorias de surgimento do universo. Incluamos também religiões extintas e que já viraram mitologias como a dos gregos, estes sim bem mais próximos da hipocrisia humana.
            Então não se pode (isso sim é uma afirmação absoluta) querer forçar a ideia de que um só deus (nosso conhecido Jeová) fez tudo do jeitinho que é hoje.

            Peço desculpas ter sido duro no post anterior. Peço-as em sinceridade. Mas a dureza não era contra a pessoa, mas contra ideias que não se costuram num argumento válido. Sempre que se tentar colocar uma divindade dentro de uma equação, o resultado é religião. E religião não se discute, se obedece.

            P.S.: O Google é uma potente máquina de busca. Ela não dá respostas, ela nos mostra as fontes. Cabe a nós verificar sua veracidade.

          • Wallace,

            Raramente eu ignoro um comentário. E só não autorizo a publicação de spam, pelo menos até hoje.

            Inclusive, leio e releio várias vezes o comentário. Acho que se não o fizesse, estaria sendo desrespeitoso com que utiliza seu tempo para ler as coisas que escrevo.

            Porém, no intuito de não deixar aspectos pendentes, faço questão de argumentar mais um pouquinho:

            a) Concordo que não é por bruxaria que faz com que o celular funcione (e mal, se for TIM, como no meu caso). Posso conviver perfeitamente com o fato que não foi nenhum deus que fez atua mensagem chegar no meu servidor. 🙂

            b) Sei que a expressão OBRIGADO pode parecer uma imposição da vontade, mas trata-se de uma imposição da lógica, no meu caso específico. A grande questão é essa, sem Deus (nomino-O de Deus cristão apenas para poder me expressar com base nos seus atributos) não percebo condições efetivas, práticas, reais para a cosmogêneses.

            c) Neste post especifico, também não uso citações bíblicas. Meus argumentos se aproximam mais da filosofia do que da teologia.

            d) Também acho que budistas, hindus, ou quaisquer outros grupos religiosas tenham direito a ter suas respostas para a origem do Universo. Nunca passou pela minha cabeça cercear-lhes esse direito. Porém, só defendo meu ponto de vista, alinhado com o cristianismo.

            e) Aqui não é o melhor lugar para debatermos bibliologia. Haverá o momento, quando abordar o assuntos tipo: “Será a Bíblia a Palavra de Deus”. Mas não tenho a menor condição de fazer isso num comentário. Uma vez comentei em outro post: aqui é meio que um caleidoscópio, se percebe o todo a partir dos inúmeros pequenos fragmentos postados.

            f) O fundamental aqui é mantermos o esquema “Tese – Antítese – Síntese”. Segundo este esquema desenvolveremos e iremos avançar em conhecimento. Logo, na minha resposta anterior tem uma perguntinha que, para avançarmos, deveria ser respondida.

            g) Não existe uma relação direta entre criacionismo e anti-cientificismo. Sou criacionista, e defensor da ciência. Porém, da real ciência, cujos princípios são aviltados que se quer impor convicções que não são provadas. Os postulados da Ciência são postos de lado sempre que se quer forçar a aceitação de algo apenas pela força da afirmação sem bases.
            Estou aqui tratando de fundamentos, que são ignorados para dar a Ciência o status de religião moderna.

            Você pode perceber isso nas entrelinhas de discursos contra os criacionistas. Existe um preconceito contra, que se percebe até no seu comentário, quando afirmas as coisas acerca da relação de Deus e o servidor do blog e da bruxaria e celular. Não seria um indício que pra você o fato da pessoa não aceitar dogmaticamente as afirmações pseudo científica, esta estaria presa a uma pensamento medieval? Seria isso um tipo de bullying? Talvez um ciberbullying? rsrsrsrs

            Wallace, perceba os “dois pesos e duas medidas” de algumas colocações suas. Curiosamente, neste espaço, quem tem adotado posturas mais xiitas não sou eu.

            Nesse sentido, talvez sejas até mais religioso que eu. Mas estou apenas divagando.

            Aproveite, passeie pelo blog, veja um pouquinho mais, faça mais comentários. Serás sempre bem vindo.

            A Paz do Senhor.

        • “Busca no google”, “busca no google”…
          tudo que vc acredita está no google?
          Busca lá também imagens do homem na lua, segunda a NASA o homem foi para a lua, nisso vc também deve acreditar né?
          Segundo vc estes experimento iniciaram-se em 1954 e hj 2012 ninguem deu continuidade???
          Se deram não encontraram resultados?

      • Muito obrigado, Sr. Alcir, pelo espaço.
        Há algum tempo vem fermentando em minha mento o absurdo que é a idéia de oniexistência, onipresença e/ou oniciência. Isso abre o maior buraco na teoria cristã sobre uma divindade, nesse caso “a” divindade, que é a origem de tudo (é a velha história de que a bíblia se contradiz). Deus é a origem de tudo e a “tudo” está circunscrito o MAL. Na verdade o mal é uma idaia sociopata criada pelo ser humano pra definir um complexo de comportamentos e em que a sociedade abomina a atitude do outro por essa ser danosa ao coletivo. Farei um parêntese logo abaixo. Aqui eu, que ja debati com outros criacionistas ou mesmo religiosos – sem que me dessem resposta -, já lancei o princípio do deus mau. Pela lógica esse deus dono e criador de tudo seria também a origem e criador do mal, pois tudo vem dele ou foi criado por ele. Ele chega ser mal ao ponto de além de negligenciar a criação do mal nada fez para o “descriá-lo”. Ora, o cara é o “onipotente” e não se dá ao trabalho de eliminar essa erva daninha! Que cara displiscente!
        O livro do gênesis conta a estória da criação de toda a humnidade. Entre pérolas como “.. e deus soprou nas narinas (de um boneco de barro) o sopro da vida” e “deus fez Adão adormecer e arrancou-lhe uma costela e dela fez a mulher” o cara coloca uma fruta num pomar e espera que os jovenssíssimos habitantes desprovidos de qualquer experiência ou percepção de maldade não prove a fruta e após isso o condena (e toda a humanidade por consequência da “hereditariedade do mal”) a ser expulso do paraíso e a perecer em velhice. Acredito ser muito mais bondoso que essa divindade absolutista (todas são por se basearem no poder máximo da época que eram os imperadores, reis e afins), pois se minha filhinha comer qualquer comida da minha geladeira ou mesmo destruir um aparelho meu eu não a condenarei à morte. Sou melhor que deus! Estranha essa constatação, não?

        Retomando a ideia do mal, veja:
        * na bíblia a mulher menstruada está poluída, não pode executar atividades “santificadas” sob a penda de ter seu sopro de vida extraído. Típico pensamento machista muito comum nessa época;
        * deus manda invadir Jericó, a terra que mana leite e mel (uau, que fantástico!) porque a terra era do pove dele a acabou. E os poderes divinos de deus dizimaram uma cidade inteira ao colocar na “chón” as muralhas com um terremoto providencial;
        * a Igreja Católica matava, decapitava, incinevara e, quando não matava logo, torturava até a morte pessoas que faziam ciência porque estavam “duvidando da palavra de deus” – ou fazia tudo isso com os que professavam outra religiões, as bruxas, por exemplo.
        Bem, parece que o mal anda muito próximo de deus ,não acha?
        Quer dizer, quando fundamentalistas religiosos ditam as regras numa sociedade, o mal passa a ter a forma, a aparência, o comportamento que lhe são convenientes. Se lembrarmos que nas estórias da bíblia o sacrifício de animais pagava os pecador do ofertador e que hoje esses rituais está isolado e marginalizado por seitas e que essas são considerdas “MALíginas” pelos anti-satanistas de plantão, vemos claramente que o conceito de mal é bem flexível e muda de tempos em tempos.

        • Wallace,

          Por questão de tempo, não tenho como te responder de modo satisfatório. E outros melhores do que eu já o fizeram.

          Logo, recomendo a leitura de Cristianismo Puro e Simples, para resposta sobre origem do Bem e do Mal, atributos de Deus, a questão da moral e enfins;
          O Problema de do Sofrimento, onde vai ser tratado a questão da doutrina da Queda, do mal, e etc, ambos do C.S. Lewis.

          Ats,

          • 🙁
            Puxa cara fiquei muito triste!
            Achei que esse era o fórum para discussões filosóficas a respeito do conflito entre as religiões e o pensamento lógico científico(sim, religiões no plural pois o deus bíblico é apenas um detre as dezenas de religiões e as centenas de divindades).
            Finda, então, aqui a minha infrutífera e curta participação neste grupo de discussões onde eu achava que poderia haver alguém que resolvesse as dúvidas que todos nós temos [e que pudesse me vencer na retórica] a cerca das inconsistências bíblicas (paradoxais e/ ou contraditórias) ou de qualquer outra crença.

            Cresci num lar eclético e sincrético. Minha avó do candomblé e católica havia convencido minha mãe a visitar o centro de candomblé que ela frequantava. Minha mãe chegou a ir por algum tempo mas o ambiente não a satisfazia. Tornou-se evangélica, primeiro na IURD, depois de anos passou um tempo na Renascer e agora encontra-se na Batista. Tenho um tio e um amigo que acreditam na doutrina espírita e um sem número de amigos e conhecidos que não dão a mínima pra religião. Quer dizer, eu aprendi com as diferenças e concluí que não pode haver uma verdade. Há sim infinitos universos que existem nas mentes de cada indivíduo, cada um diferente do outro e a certeza de que nada em se tratando de fenômenos, experiências, seres, divinddes e mitos do mundo metafísico pode ser tratado com o rigor científico que este blog intentava.

            Desta vez um agradescimento meu soaria, no mínimo, cínico, pois o senhor não só pôde contra-argumentar as ideias como, pior, deu um baita CTRL+C CTRL+V, não de frases, mas de dois livros! Aí o senhor foi muito hipócrita!
            Ah, tenho certeza que livros de religião não trarão resposta alguma no rigor científico que aqui designamos.

            O homem criou deus à sua imagem e semelhaça, mas só pra tirar vantagem dos outros homens.
            As implicações filosóficas que essa afirmação (minha) tem são as mais amplas possíveis. Parece que ninguém parou pra pensar o porquê de o deus bíblico ser tão humano: (diz) amar, senta num trono, se enfurece e dizima humanidades, põe ódio no coração de outro homem (caso do Faraó), sente vergonha (do personagem Jesus na cruz), sente orgulho (contra o diabo, no caso Jó), sente, sente, faz, diz, escreve, acontece… São ações humanas escritas por roteiristas hábeis, escrivão da monotonia daqueles períodos sem tecnologia, copistas semi-alfabetizados sem luz à noite que se debruçam em pergaminho escritos anteriormente a recontar estórias que a história não confirma. às vezes se apoiam na história para dar verosimilhança nas sua façanhas heroicas. Estranho isso se repetir de tempos em tempos: Homem aranha vive em Nova Yorque, Jaspion em Tóquio, Capitão Nascimeno nas favelas do Rio lutando contra o quase invencível crime organizado… É amigo, a história se reconta em estórias bem divertidas.

            Deixo aqui mais uma coleção de Ctrl+C Ctrl+V:

            Scientia non habet inimicum nisi ignorantem.
            A sabedoria/ciência não tem outro inimigo além dos ignorantes.

            Cogito ergo sum. Ergo Deum creavi.
            Penso, logo existo. Logo crio Deus.

            Finis coronat opus.
            O Fim coroa esta obra.

          • Wallace, só duas coisinhas.

            Não posso pessoalmente responder como devido pois vai levar um tempo que não disponho. Mas se tiveres paciência, assim que me desocupar mais das obrigações do cotidiano, terei o maior prazer em replicar.

            Indiquei dois livros porque ingenuamente imaginei que tinhas interesse em entender mais sobre o assunto. Sorry.

            Inclusive, o autor que indico foi um catedrático de Orxford, logo a sua abordagem é mais acadêmica.

            na Paz.

        • Resumo a minha resposta nisso:
          1º Livre arbitrio.
          2º Sobre Adão e Eva Deus o alertou sobre o fruto.
          3º Não sigo nenhuma religião eu sigo a Deus. Então não venha me culpar sobre oq a igreja catolica vez ou deichou de fazer, seria como culpar ou julgar vc pelos atos de visinho dos seus antepaçados.

  3. E se Deus não existe, que valor têm o pensamento ?

    Afinal, a verdade deles já está ai: a existência é só um acidente e tudo vai acabar em nada, logo, que pensamento o homem possa vir a ter que modifique o fato que a vida é absolutamente inútil, e por consequência, qualquer pensamento é inútil.

    Ateus falam mas não nunca percebem as consequências niilistas de sua descrença. Ou percebem mas jogam pra debaixo do tapete.

  4. Só a uma coisa que vemos neste Post, Arrogância misturada com pura ignorância, tipico de religiosos fanáticos que acreditam acima de todas as evidencias na existência de um Deus.

    • Paulo, até concordo que sou arrogante. De fato, as vezes sou, e este é apenas um dos meus inúmeros defeitos.

      Mas, cara, a afirmação é oposta: as evidências apontam para o fato de que há um Deus. A negação xiita deste fato, baseado em afirmações não fundamentadas em argumentos, é a postura costumeira dos que seguem o “deus-pseudo-ciência”.

      Terei o maior prazer em responder alguma questão objetiva que o meu post tenha suscitado.

      Ats.

  5. Olha já faz bastante tempo que deixei de acreditar no deus cristão ou em qualquer outro deus, nos dias atuais o deus adorado e o deus cristão eu já fui seu adorador mais com o tempo lendo a propia bíblia a gente acaba descobrindo que o que esta escrito lá não pode ser verdade, deus sabe tudo passado, presente, futuro de repente ele se entristece com um dos seu seguidores porque o desobedeceu ora! ela já não sabia disso? deus permite a maldade sequestro, estupro, assassinato, pedofilia, fome, etc, sendo que a propia bíblia diz que ele pode tudo então ele poderia intervir e porque não intervém? porque eu como humano sou melhor que ele? porque se eu pudesse eu interviria ou qualquer outro ser humano sensato faria a mesma coisa, e nas igrejas evangélicas vejo e ouço tanta baboseira que me da ate nojo, e cura de câncer, aids, paralítico, cego, etc, agora eu me pergunto os amputados são excluídos? porque eu nunca vi um membro de um amputado nascer novamente, fica ai a minha ideia sobre deus ok!

    • José, lamento a sua perda de fé. Infelizmente vc não é a única pessoa que isso aconteceu. O “Problema do Mal” é um dos aspectos que homens muito mais cultos que eu vem debatendo a muitos anos.

      Uma dica de leitura sobre o assunto é o livro de C. S. Lewis, “O Problema do Sofrimento”. “Decepcionados com Deus”, de Philip Yancey também pode ajudar, mesmo não tendo a mesma profundidade do primeiro.

      Aqui no blog também já argumentei um pouco sobre isso: http://www.alcirfilho.com.br/2011/12/12/deus-e-o-mal/ Vale o click :).

      Mas baseado no argumento deste post, a questão sobre Deus não é uma mera aceitação, mas a única alternativa logicamente plausível.

      Espero que dessa forma, eu possa ajudar a vc enxergar por um outro ângulo.

      Na Paz.

  6. um ótimo debate, mostra muito bem o que ja dizia Bakunin, “são doentes demais para enchergar” a pior prisão eh a prisão mental, eh vergonhoso tanta inteligencia desperdiçada em grande arrogancia e teimosia, palavras escritas para nos escravizar sendo pronunciadas por outros escravos que alem de serem o que são infectam a grande massa. Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *